Amigos do Blog

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Sindicato da Guarda Municipal de Curitiba não repassa informações suficientes ao GMS, segue a ata completa da Reunião.

 Estranhamente o sindicato da GM Curitiba repassa informações pela metade, ou não repassa o que é de interesse da categoria, tenta criar intriga entre as divisões de hierarquias, ao invés de unir a categoria, somos todos Guardas municipais, seja cordão branco ou amarelo, seja nível 1, 2 ou 3 não tem porque dividir a categoria, na verdade nosso plano é falho em diversos pontos, aqui os comentários são de livre acesso de todos, peço apenas para que se identifiquem, anônimo não é nada é apenas um covarde, já na pagina do nosso sindicato não se pode se quer comentar, porque?
Relatei em fevereiro que nosso plano não seria aprovado este ano, e infelizmente creio que não seja. 
Cito algumas das falhas em nosso plano em minha modesta opinião de pós graduado em RH.

1° não se pode de maneira nenhuma dar aumento salarial para um dos níveis dos Guardas e deixar os outros sem aumento, nossa carreira é única, todos somos Guardas Municipais.

2º apenas 9% do efetivo pode ser supervisor e 1° inspetor, hoje já são em torno de 96 Supervisores que quase totaliza os 9%, mesmo com um novo concurso, seriam abertas aproximadamente 30 vagas de supervisores para aprox 1600 Guardas disputarem e sabe Deus quando, pois mesmo com supervisores se aposentando, falecendo, não se abre concurso para crescimento vertical, ninguém sabe de que maneira e quando poderá crescer na carreira na vertical, inspetores são 30 que já é 2% do efetivo, ninguém da ativa atual vai ter chance de ser inspetor um dia, e quem não conseguir ser supervisor no próximo concurso que não tem data nem definição, esqueça, jamais será supervisor e os Guardas nível 1 vão continuar fazendo a função de apoio de viaturas que é função de supervisor, sem nunca se tornar supervisor;
Na minha opinião, neste novo plano deveria ser criado a categoria sub inspetor, 4 niveis ao invés de 3 e ai sim, 1% inspetor, 2% sub inspetor e 20% supervisor e com reposição imediata com cadastro de reserva dos aprovados no concurso interno, isto sim seria uma carreira com crescimento e não achatada na horizontal.

3º o que mais vem criando impasse com os inspetores e supervisores é que estão lançando informações de que eles teriam x de aumento salarial, quando na verdade é y, basta declarar a verdade o aumento para os GMs nivel 1 sera x e para sup e inspetores y.

Segue a ata oficial da reunião na câmara municipal, sem cortes:

Data: 22/07/2014 - 17:49:45
Guarda Municipal faz a primeira discussão do plano de carreira na CMC
A primeira rodada de debates na Câmara sobre o plano de carreira da Guarda Municipal de Curitiba (GMC) iniciou nesta terça-feira (22). Representantes da categoria estiveram reunidos na presidência do Legislativo para reivindicar algumas mudanças no projeto de lei encaminhado pelo Executivo em junho (005.00137.2014). A matéria já recebeu parecer da Procuradoria Jurídica (Projuris) e, no final do recesso, será avaliada pela Comissão de Legislação, Justiça e Redação.

O plano, negociado entre o Sindicato da Guarda Municipal de Curitiba (Sigmuc) e a prefeitura desde julho de 2013, na avaliação da categoria é satisfatório, mas alguns ajustes devem ocorrer. Um dos pontos apresentados na reunião é o enquadramento de todos os servidores no mesmo período.

“É uma carreira única, todos entramos como guardas municipais, então temos que ser tratados de forma igual. Mas o que se prevê no projeto é que os que trabalham como guardas serão contemplados num primeiro momento e, em doze meses haverá o enquadramento de supervisores e inspetores”, explicou o chefe do Centro de Operações da Defesa Social (CODS), Vanderson Lima Cubas. Atualmente, o efetivo da GM é de 1480 servidores, sendo que, destes, 92 são supervisores e outros 30, inspetores.

Outra questão é quanto à tabela de progressão. “A progressão termina com trina anos, mas a maioria de nós trabalha 37, 38 anos para poder se aposentar. Então, a tabela tem que atender este período também, senão não há valorização lá no final”, alertou o inspetor Nelson de Lima Ribeiro, que ficará encarregado de participar da próxima reunião com o Executivo e os vereadores.

Um terceiro ponto levantado é quanto ao vencimento base. “Da forma como a secretária de Recursos Humanos da prefeitura nos explicou, a impressão que fica é que o vencimento base será reduzido, o que é proibido por lei”, argumentou Ribeiro.

No entanto, o presidente do Sigmuc, Luiz Vecchi, explicou que não haverá esta redução. “Um inspetor que hoje recebe R$ 3.444,29, passará a receber R$ 4.175,85, sendo que lá na frente, vai se aposentar com o vencimento base mais o vencimento complementar de atuação, que é o que compõe este valor”, afirmou.

Vecchi ressaltou alguns pontos positivos das mudanças, como a valorização por titulação, ou seja, quem procurar estudar e fazer especializações ao longo da carreira pode receber vantagens financeiras. “Haverá um reenquadramento por tempo de serviço, com maiores perspectivas de crescimento”.

De acordo com o Sindicato, um guarda municipal só conseguiria exercer a atribuição de inspetor após 21 anos na corporação. Com o novo plano, seria possível chegar lá a partir de onze anos. Para supervisor, esta espera deve cair de onze para cinco anos completos.

“No geral, o plano é ótimo, só precisa de alguns ajustes”, disse o inspetor Ribeiro. “Tenho 25 anos de experiência na Guarda e nunca vi um plano melhor que este. Os guardas precisavam disto, estávamos perdendo-os para os concursos das polícias Civil e Militar”, complementou o inspetor Carlos Celso dos Santos Junior.

Além dos vereadores, o diretor do Departamento Técnico Legislativo da Prefeitura, Paulo Valério, participou da reunião e disse que encaminhará as reivindicações para a Secretaria de Recursos Humanos, junto ao parecer da Projuris, para análise de ambos. “No começo de agosto deveremos ter uma reunião com os representantes da categoria e a Câmara para discutirmos o que é possível fazer”, adiantou.




A primeira rodada de debates na Câmara sobre o plano de carreira da Guarda Municipal iniciou nesta terça-feira. Representantes da categoria estiveram reunidos na presidência do Legislativo para reivindicar algumas mudanças no projeto de lei encaminhado pelo Executivo em junho. (Foto – Michelle Stival da Rocha/CMC)
“É uma carreira única, todos entramos como guardas municipais, então temos que ser tratados de forma igual”, disse o chefe do Centro de Operações da Defesa Social (CODS), Vanderson Lima Cubas. (Foto – Michelle Stival da Rocha/CMC)
“A progressão termina com trina anos, mas a maioria de nós trabalha 37, 38 anos para poder se aposentar. Então, a tabela tem que atender este período também, senão não há valorização lá no final”, alertou o inspetor Nelson de Lima Ribeiro. (Foto – Michelle Stival da Rocha/CMC)
O presidente do Sigmuc, Luiz Vecchi, disse que as negociações entre o sindicato e a prefeitura iniciaram em julho de 2013 e o plano que agora está para ser votado foi um consenso entre a maioria dos servidores da categoria ao longo deste um ano de discussões. (Foto – Michelle Stival da Rocha/CMC)
“Tenho 25 anos de experiência na Guarda e nunca vi um plano melhor que este. Os guardas precisavam disto, estávamos perdendo-os para os concursos das polícias Civil e Militar”, disse o inspetor Carlos Celso dos Santos Junior. (Foto – Michelle Stival da Rocha/CMC)
As mudanças que constam no plano de carreira para os servidores da Guarda Municipal foram publicadas no jornal do Sigmuc. (Foto – Michelle Stival da Rocha/CMC)   Fonte: http://www.cmc.pr.gov.br/ass_det.php?not=23173

Ciclopatrulha Guarda Municipal de Curitiba.



domingo, 20 de julho de 2014

Muitos tentam nos diminuir, mas continuamos Crescendo.

Estatuto das Guardas Municipais foi aprovado pelo Senado

Projeto de lei aprovado pelo Senado dará poderes de polícia aos guardas municipais, hoje responsáveis principalmente pela segurança do patrimônio público e fiscalização do trânsito.

O Estatuto Geral das Guardas Municipais regulamenta o uso de arma de fogo pelas guardas e permite, entre outras funções, que os agentes participem ativamente do trabalho da segurança pública, atribuição do governo do Estado.

O projeto de Lei Complementar nº 39/2014 foi aprovado pelo Senado na última quarta-feira e será encaminhado para a sanção da presidente Dilma Rousseff.

Algumas das atribuições regulamentadas são tipicamente realizadas pelas polícias Civil e Militar.

Pelo Estatuto, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) vai destinar o número 153 para chamadas para as guardas de cada município.

As atribuições

Estatuto


Porte de arma
Sem discriminar guardas de trânsito e de segurança pública, o estatuto autoriza o porte de arma de fogo para todos.

Uniformes
As guardas municipais utilizarão uniforme e equipamentos padronizados, de preferência na cor azul.

Força militar
A estrutura da guarda não pode utilizar denominação idêntica à das forças militares quanto aos postos e graduações, títulos, uniformes, distintivos e condecorações.

Atribuições


Ocorrências
Garantir o atendimento de ocorrências emergenciais ou prestá-lo direta ou indiretamente quando deparar-se com elas.

Prevenção
Desenvolver ações de prevenção primária à violência, isoladamente ou em conjunto com os demais órgãos da cidade, de outros municípios ou das esferas estadual e federal.

Bens públicos
Zelar pelos bens, equipamentos e prédios públicos do município.

Trânsito
Exercer competências de trânsito conforme previsto em lei e mediante convênio com órgão de trânsito estadual ou municipal.

“O Estatuto vai servir para legitimar o trabalho da Guarda, que já é bastante alinhada com o estatuto e já realiza este trabalho juntamente com as de mais forças policiais”,

 http://www12.senado.gov.br/noticias/materias/2014/07/16/aprovado-estatuto-que-garante-poder-de-policia-as-guardas-municipais

Concurso da Guarda Municipal de Curitiba